sábado, 20 de março de 2010

Entender a produção do espaço na favela acima, passa pelo entendimento da própria cultura mexicana, fortemente influenciada pelas civilizações pré-colombianas que aí habitavam milenarmente. Embora sejam sub-moradias, o colorido das casas é um produto da cultura remanescente de tais civilizações, que produziam seus artefatos usando a mesma gama de cores vivas que se vê na foto. Agora pense no espaço que te cerca. Será ele tão rico de referências culturais?

2 comentários:

  1. Oi, Jorge! Sua questão não é tão simples. Acho que o nosso espaço é tão diversificado que as referências culturais acabam ficando latentes. Aqui em SP, as favelas não têm cores, parece um amontoado de cinza. Por outro lado, em Búzios (ou lhabela, não lembro), as favelas são coloridas. E no sul, as casas mais simples são de madeira. E então, qual a resposta? Rs...beijos!Bruna (Hexag)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bruna.
    O importante é entender a produção do espaço também como um legado cultural. No sul não apenas as casas simples são de madeira. Há cidades com casas típicas da cultura alemã, onde o espaço é produzido a partir de tecnologias muito antigas de construção em madeira. Acho que aqui em São Paulo a falta de acabamento das sub-moradias é um reflexo da velocidade louca e da transitoriedade permanente de nosso urbano. Beijão, Jorge

    ResponderExcluir

Comente, discuta e critique.